sexta-feira, 17 de junho de 2011

Vídeo de um instrumento tocado pelos Aborigenes na Australia

Olá pessoal!

Hoje, vou postar um videozinho from Australia de um instrumento musical que os Aborígenes inventaram...

O som é realmente interessante... O jeito que eles tocam lembra o nosso "berrante" mas o som é diferente...

Neste vídeo na verdade o "moço" mistura vários sons... Estou postando esse em especial que dai o som do instrumento fica bacana... Porque somente o instrumento tocado sozinho não tem muita graça...

Enjoy it!!!

Kisses a lot to Brazilian people!

domingo, 29 de maio de 2011

Hello everyone!

Uiaaaa, vamos a uma postagenzinha depois de muitas décadas sem postar!
Desculpe pessoal, mas como já disse num dos últimos post, nos meus horários vagos tenho aproveitado para estudar, ler livros em inglês, cozinhar ou descansar mesmo.
Mas vamos às novidades... Acho que tenho muitas... hehehehe

Primeira novidade:  Em 3 meses de curso de inglês, já estou no nível Intermediário. \o/
Comecei no mais básico de todos (Elementary) e agora já estou no Intermediate – no mesmo nível em que o Lincoln se encontra! Não estamos na mesma sala, mas agora podemos estudar juntos e tirar nossas dúvidas... Bem bacana, porque estou vendo que meu inglês está sendo aperfeiçoado aos pouquinhos. Confesso que as vezes não entendo muito bem os nativos, mas consigo me comunicar. Ainda tenho uns mistakes (erros) mas a comunicação flui. Meu boss (chefe) diz que meu inglês está melhor que o dele já... hahahaha. Detalhe: ele é chinês!

Segunda novidade: Vamos renovar o visto para mais 1 ano aqui na Australia. Nosso visto vence em Julho e nós já estamos vendo a papelada e o dinheiro para renovar para mais um aninho. Então, família e amigos, ainda vou ficar um tempo ausente do Brasil. Hhehehehe. Queremos fazer valer a pena a vinda para Australia e eu quero voltar falando FLUENTEMENTE inglês. E em apenas 5 meses isso não é possível. Então acredito que 1 ano e meio seja suficiente para voltar para a minha terrinha.

Terceira novidade: Vamos nos mudar para Perth. Como vamos renovar o visto para mais um ano, vamos nos mudar para Perth, uma cidade que fica do outro lado da Australia, na costa Leste. Temos muitos amigos que moram em Perth. Em Cairns (onde moramos) está muito difícil para o Lincoln arranjar emprego, pelo fato de ser uma cidade pequena (100 mil hab) e turística que depende 100% dos turistas para sobreviver. Então, vamos para Perth, que é uma cidade como Curitiba, com aproximadamente 1 milhão e meio de habitantes.
O primeiro a ir será o Lincoln (final de junho), para que ele consiga arranjar um emprego. Assim que ele arranjar um trabalho eu me mudo. Porque é melhor um pássaro na mão do que dois voando... =)

Quarta novidade: Fizemos um curso de mergulho na Maior Barreira de Corais do Mundo! O nome do curso é OPEN WATER, e ele nos dá licença para mergulhar em qualquer parte do mundo sem instrutor, apenas com um buddy (companheiro). É o passo para se tornar mergulhador profissional! A experiência foi ESPETACULAR! Muito lindo! Muito bonito! A sensação é que estamos dentro de um aquário... Muitos peixes e espécies marinhas diferentes, tudo muito colorido lá em baixo. Descemos 18 metros, no inicio senti um pressãozinha no ouvido, mas depois foi tranqüilo... Basta equalizar e equalizar.
Fizemos 9 mergulhos durante o dia e 1 a noite. A noite mergulhamos com tubarão. Não sei que espécie era, mas acho que tinha entre 2 ou 3 metros de largura. Deu um frio na barriga violento, mas muito legal a sensação! O tubarão ficou nos rodeando e depois foi embora...
Confesso que não curti muito mergulhar a noite, dá um certo tipo de desespero porque você não tem visibilidade de absolutamente nada, apenas uma lanterninha básica que ilumina o que está a sua frente. O interessante de mergulhar a noite são as espécies diferentes de peixe. Vimos um peixe a noite que é muito raro ver, e no outro dia de manhã (6h00) mergulhamos e vimos o peixe de novo... A qualidade da foto não está 100%, mas acho que vocês conseguem ver... Ele tem um dentão diferente... hehehehe





Estou com muitas saudades de todos! Saudades do Brasil, de um bom barzinho com MPB, de uma comidinha da mamãe e da vovó...

Beijos a todos!
Bárbara

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Hello Brazil!!!!!!!

Hello Brazil!
Faz tempo que não posto uma mensagem aqui no Blog... Mas confesso que está difícil. Nas minhas horas vagas, tenho me dedicado aos estudos (inglês), pegar beeem a gramática e falar tudo certinho, é complicado... Então, este é o principal motivo da minha ausência.
Então, vamos às noticias:
Não estamos morando mais na homestay que postei as fotos à 1 mês atrás. Agora, estamos moramos numa sharehouse. Tivemos que nos mudar porque o contrato com a homestay era de apenas 1 mês e, se quiséssemos renovar o valor a pagar por semana era de $320 o casal. A homestay fica a 6 km do centro da cidade, então, todos os dias tínhamos que pedalar 12 km. Ficava pesado de mais para nós. Além de que, tem vezes que trabalho até a noite, e para voltar é meio perigoso sozinha... Então, resolvemos mudar para a sharehouse que o valor por semana é de $220 o casal, ou seja, mais barato... E, além disso, muitooo perto da escola onde estudamos e do shopping onde trabalho. Da escola é 3 min de bicicleta e do trabalho 8 min. Super tranquilinho. Para quem não conhece esquema de sharehouse, funciona assim: Uma pessoa tem uma casa, resolve abrir as portas para alugar os quartos e então, você só paga o aluguel do quarto. A cozinha, a lavanderia e o banheiro são comunitários. Então essa é a desvantagem... Mas tudo bem. Na casa onde moramos tem 2 andares, e ambos os andares são independentes, ou seja, tem o seu banheiro e a sua cozinha. A única coisa que dividimos é a lavanderia – que fica no andar de baixo. No nosso andar (o de cima) mora conosco uma Australiana super gente fina e uma Britânica meio estranha (hahahahaha). No andar de baixo não conhecemos ninguém, porque não temos acesso à casa. As chaves são diferentes. Mas sabemos que moram 6 pessoas. Ops, quer dizer, conhecemos uma pessoa sim do andar de baixo, a vizinha CHATA que tem o quarto exatamente em baixo do nosso. Ela já veio umas 2 vezes reclamar que estamos fazendo muito barulho e que ela não consegue se concentrar. Barulho do tipo: andar, cair alguma coisa no chão, assistir TV... falaaaaa serio né! Ela é uma mala. Estamos ignorando-a. Há Há Há Há (risada maligna)




Nosso meio de transporte aqui é a Bike! Vamos à balada de bicicleta! Já viu isso no Brazil? Hahhahaha achamos um máximo!! Claro que para mim fica complicado se quero usar saia, mas tudo dá se um jeito. As regras pra bike aqui são as mesmas dos carros. O uso do capacete é obrigatório, lanternas tipo faróis para andar a noite também. Bicicleta não pode andar na contramão, sempre no sentido correto – o mesmo dos carros. Não pode em hipótese alguma beber e andar de bicicleta. Se infringirmos as leis tomamos uma multa de $80 e no caso da bebida corre o risco de até ser preso, dependendo do nível do álcool. Ou seja, não dá pra marcar né? As coisas aqui são rigorosas mesmo! Mas acho bacana isso. Muita gente segue certinho as leis. Mas como a maioria que vive em Cairns é estrangeiro, sempre tem alguém que se ferra. hauhauhahahua  
Outra coisa que acho muito interessante aqui é esquema da Balada. Muita, mas muita gente vai de chinelo pra balada! Claro dá também uma mulherada mega produzida, mas a grandeeee maioria vai de havaianas! Confortável pacas! Esses dias, numa sexta-feira sai para estudar de manhã cedo, a tarde fui para o trabalho e a noitinha sai para tomar uma beer com os amigos koreanos e japoneses. Nesse meio tempo todo, eu estava de shorts, uma blusinha, chinelo e a mala da escola. Depois resolvemos ir para a balada. Imagine eu, entrando numa balada de chinelo, sem maquiagem, toda “desleixada”... Jamais eu sairia assim no Brasil... Mas aqui é super comum... Hahahhahaha nem me incomodei e adorei a sensação de liberdade! Ninguem fica reparando em você, como você está vestida. É muito interessante!



Meu trabalho está indo bem... Mas tenho andado cansada! Nunca achei que fazer massagem cansaria tanto. O pessoal aqui na Australia gosta de “hard massage”, ou seja, massagem forte, com muita pressão. Pra vocês terem uma noção eles usam o cotovelo para fazer a massagem, porque os dedos são fracos. Minha professora de Shiatsu até tinha me avisado quanto a esse costume. Mas não achei que seria tão real. No começo, eu não sabia usar o cotovelo, fazia apenas com os meus dedinhos fraquinhos coitadinhos. Hehehhe. Agora, aprendi com o pessoal aqui a técnica do cotovelo. “To carcando na galera” hahahahahha. Dalhe cotovelada no povo aqui. Mas depois que comecei a usar o cotovelo comecei a receber mais elogios da minha técnica... hehehhehe. Esses dias conversei com o meu Boss a respeito de uma técnica que eu tenho e que até agora não vi aqui na Australia, a Massagem Modeladora. Tentei explicar para ele como funciona, mas não existe uma tradução certa... Então coloquei o nome de DIET MASSAGE. Ele adorou! Essa semana começo com a técnica... Serei a única e exclusiva que fará essa massagem e conseqüentemente se Deus quiser entrará mais graninha!
Como estou trabalhando só as tardes (depois da aula) e sábado e domingo não estou conseguindo tirar muita grana... Se eu trabalhasse de manhã e de tarde e final de semana, a grana ir ser gordinha... Mas infelizmente tenho aula todas às manhãs. Além de que terça e quinta eu não trabalho porque tenho aula a tarde. Que rolo né? Mas pelo menos estou conseguindo tirar uma grana para pagar as continhas, comer, e ainda guardar um pouquinho para viajar!




Mais uma novidadezinha e daí finished. Esse post já está muito grande... hahhahahaha
Esses dias fizemos um barbecue na churrasqueira que tem em volta do Lagoon (piscina publica da cidade). E fizemos carne de CANGURU! Hhahahahhaa. Finalmente provei o tal do canguru que tanta gente fala. Não é ruim, nem bom. Não lembra nenhum gosto para eu dizer como é... Mas é um pouquinho forte. Como eu comia e lembrava do pobre coitado do bichinho, fiquei um pouco com nojo... Mas valeu a experiência. Conversamos com um Australiano que estava fazendo barbecue do nosso lado e ele disse que é melhor comermos em restaurante, que eles sabem exatamente com preparar. Hahhahaa acho que ele estava dizendo que não sabemos preparar... Ele não sabe que somos CHEFES DE COZINHA! Hahahahhaah doce ilusão. Mas valeu a experiência. Quando tivermos uma graninha legal, vamos experimentar de novo o canguru num restaurante e com ele a carne de crocodilo. E então eu volto a postar de novo. Heheheheh.







É isso pessoal. Super beijo a todos e desculpe o sumiço!
Bárbara

quarta-feira, 30 de março de 2011

Primeiro emprego na Australia!

Primeiro dia que saio procurar emprego em Cairns, com o meu “Resumé” (currículo) na mão, e logo de cara já consigo! Nem acredito nisso!
Estava procurando como Massoterapeuta, pois fiz um curso de Massoterapia no Brasil, com a intenção de conseguir emprego nesta área.
Fui em 3 lugares:
·         No primeiro, dei com a cara na porta... O rapaz disse que não estavam precisando de gente e que nem gostaria de ver meu Resumé... (super grosso, diga-se de passagem)
·         No segundo, era uma salinha, onde tinha duas macas. A moça me atendeu super bem, me elogiou um monte, mas disse que agora não estaria precisando de ninguém, porque aqui em Cairns está em baixa temporada. A alta começa em Maio.
·         No terceiro, foi no shopping. Apresentei-me ao gerente, disse que estava procurando por um emprego. Disse que no Brasil eu tinha estudado Massoterapia e que estava procurando algo nesta área. Então, ele me pediu para fazer um teste rápido. Pediu para que eu fizesse massagem num dos massoterapeutas. Fiquei super nervosa na hora, mas beleza, encarei numa boa. No final ele olhou para mim e disse: GOOD JOB! Ou seja, estava contratada! Conversamos sobre algumas técnicas e dois dias depois eu já estava trabalhando!
Nem acredito! Estou muito feliz! Shopping aqui na Australia não é como no Brasil, que fecha às 22h todos os dias. Shopping aqui fecha às 17h00, é super tranqüilo. Então não é nada exaustivo. O interessante é que eu faço meus horários, então fica bem fácil.
O blog anda meio desatualizado, porque estou com a uma super dificuldade de escrever... Estou correndo um monte... Estudando de manha e trabalhando a tarde... A noite aproveito para estudar e praticar meu inglês conversando com o pessoal da casa... Mas vou tentar sempre atualizar.
Um beijo super especial à minha família no Brasil. Estou morrendo de saudades!
Bárbara

sábado, 19 de março de 2011

Como se refrescar em Cairns?

Cairns tem mar, porém, não tem “praia”. Ou seja, não podemos entrar na água, devido ao grande número de animais perigosos... Como crocodilo, tubarão e água viva.
Sendo assim, a Prefeitura criou o Lagoon, uma piscina artificial de água salgada. O Lagoon é o ponto de encontro do pessoal, muito bacana. Em volta dele, existem diversas churrasqueiras para o pessoal fazer “Barbecue”.

É muito comum as famílias fazerem churrasco enquanto se refrescam. Claaaaro que o churrasco deles é bem diferente do que estamos acostumados no Brasil. O deles é regado a hambúrguer e linguição.


Perto de Cairns existem várias praias, onde é possível entrar no mar. E ontem (sábado), eu e o Lincoln resolvemos visitar alguma delas: PALM COVE e TRINITY BEACH.














Chegando na praia, ficamos indignados! A vista é maravilhosa, o mar é verdinho... Porém, a área para banhistas é limitada, ou seja, cercada. Só é possível se banhar naquela região controlada pelos salva-vidas. E isso devido ao grande número de água-vivas e crocodilo.


Dizem que é época, que a partir de Maio eles liberam a entrada no mar... Não sei se é verdade, mas vamos ficar atentos.
Apesar desse imprevisto, a água estava maravilhosa e QUENTE! Sim, a água estava com 29°C. Hahhahahaha.

Achei interessante que por todo trajeto beira-mar da praia, existem sequinhos de lixo espalhados para recolher as necessidades dos cães. Esquecemos de tirar foto, mas é super bacana. Assim, não suja a praia, e todos podem usufruir dela sem se preocupar com as “caquinhas” dos cachorros.













Existem muitas coisas interessantes que não tem no Brasil. Assim como no Lagoon, nas praias existem quiosques onde você pode fazer o churrasco. Aqui eles não usam carvão, o churrasco é feito à gás. Então, é tudo bem bonitinho. Você liga o gás, acende o fogo e faz seu churrasco.

Por toda praia também, existem uns terminais de primeiros socorros, onde contem dois tipos de solução contra queimadura de água viva. Pelo jeito, água viva pega fuerte por aqui... melhor cuidar ao entrar na água.

Bjokas Bá e Lincoln

Mais notícias...

Aqui em Cairns, o principal meio de transporte dos alunos é a bicicleta... Logooo, compramos uma... A maioria aluga, custa $10 por semana... Mas já que vamos ficar 5 meses, achamos melhor comprar mesmo... Saiu bem mais barato.

A casa onde moramos fica bem distante da escola, 6 km. Para ir, é tranqüilo, porque tem muita descida. Mas para voltar, haja perna para agüentar as subidas... Por um lado é bom, evita que a gente “engorde” com as comilanças... hehehehe
Antes de virmos para Australia, achamos que as coisas aqui seriam mais baratas, tipo comidas, roupas, eletrônicos, acessórios... Enfim, porque no Brasil tudo tem muito imposto. Mas doce ilusão, fica “pau a pau” com o Brasil.
Não sei se é porque moramos em Cairns, que é uma cidade super turística, ou se toda Austrália é assim... Mas não é muito diferente os preços... as vezes sai até mais caro, por ser em dólar. Por exemplo: Coca Cola aqui custa $3,50. Se transformar para Reais, sai quase R$6,00.
Esses dias fomos num jogo de basquete. Aqui é uma loucura basquete, como se fosse futebol no Brasil. Toda arquibancada da quadra é forrada de “carpet” acredita? Hahahha eu nunca tinha visto isso... No Brasil, é chão batido mesmo... hihihhih. Aqui, eles colocam um mega tapete no Hall de entrada e forram com carpet o restante. Achei um Maximo.
Depois fomos no Cassino, minha primeira experiência em Cassino, afinal no Brasil é proibido! O pessoal da casa onde moramos foram juntos. A Mary, Australiana, disse que já ganhou 2 carros no Cassino, um deles um AUDI TT !!!!!!!!!!!!!! Hahahhahahaha que básico não?
Ela vendeu os dois carros que ganhou e ajudou a construir a casa onde estamos moramos... Acho que agora deu para entender um pouco da super e mega casa... hihihihih.
Então, voltando ao Cassino. Caramba eu não entendi nada... Uma porque eles falavam muito rápido, outra porque não entendo nada de jogatinas... Então fui para a maquininha caça níquel. Que caçou $6 de mim. O que me motivou a parar. Também não tinha entendido nada como funcionava aquele treco... hahahaha. Logo, fomos embora...
Depois, no mesmo dia, fomos curtir uma baladinha Australiana. Muito bacana e elegante o lugar... Tem até uma piscina dentro do espaço. Achei super bacana. Mas fiquei impressionada com uma coisa: Aqui, a meninada não está muito preocupada como o outro está vestido, ou se está na moda... Grande parte do pessoal que vai nas baladas, vai de CHINELO! Sim, chinelo mesmo, até havaianas de pedreiro... hehehehehe. Achei um Maximo! Eu estava toda emperequetada, quando vi o estilo do pessoal, pensei: Puts, essa é a minha praia! Curti pra caramba!

domingo, 13 de março de 2011

Primeiros dias em Cairns

Nossos primeiros dias em Cairns foram corridos!
Chegamos na segunda-feira as 08h00. A Mary – dona da casa onde estamos hospedados – foi  nos buscar no aeroporto. Ela é muito querida e prestativa! Primeiro nos levou para dar uma volta de carro pela cidade, nos mostrou onde é a escola (Kaplan) que estudamos inglês, o Lagoon (uma piscina pública de água salgada) onde os moradores e turistas se banham, o Cassino (hmmmm hehehehe) e outros lugares...
Adoramos! Tudo muito bonito e organizado. A cidade é pequena, limpa e muito aconchegante. Seguimos para nosso destino, a “homestay”. Caramba, quando entramos no bairro (Kanimbla), uau! Super bacana! Só casa bonita, casa estilo americana, sem portão, e muito, mas muito elegante! Chegando na nossa casa, ficamos encantadas! Uma super arquitetura! A casa é muito, mas muito bonita! Vejam as fotinhos abaixo, super legal.

Fomos dormir um pouco para descansar. Quando acordamos na hora do almoço, a cultura australiana começou aparecer. Aqui eles não “almoçam”, eles fazem um lanchinho... Nada de arroz, feijão, salada e carne como no Brasil... hehehehe. Ficamos perdidos e tortos de fome... Mas tudo, fizemos um “lanchinho”...
A noite, conhecemos os outros estudantes estrangeiros que também estão hospedados conosco: Florian, um rapaz Francês e Naioko, uma garota Japonesa. Muito legal essa mistura de cultura. A comunicação tá meio difícil, porque cada um tem uma pronúncia do inglês, então fica muito difícil de entender o que eles falam. Mas nada como gestos e desenhos para nos comunicar.
No outro dia de manhã (terça-feira), seguimos para o nosso primeiro dia de aula. Na verdade, as aulas começam na segunda-feira. Mas como chegamos na segunda e estávamos muito cansados acabamos não indo.
Chegando na escola, tivemos que fazer alguns testes de inglês para saberem em qual nível nós estávamos. Eu, é claro, fiquei no nível básico do básico (heheheh), aqui chamado de “Elementary” e o Lincoln é claro, ficou no “Intermediary”.

Seguimos para nossas turmas (separadas), na nossa sala a grande maioria é Koreano e Japonês... Mas tem também francês, colombiano e espanhol.
Muito interessante isso, porque na escola em si, tem gente do mundo todo: Índia, Suiça, Arábia, França, Colombia, Chile, Espanha, Alemanha, China, Japão, Koréia... Enfim, de todos os países que não falam inglês... hehehehhe
Nessa semana, ainda estamos conversando em português, porque para mim principalmente está muito difícil entender inglês... A pronúncia do Australiano é muitoooo diferente. E a mistura de cultura do pessoal da escola é estranha pacas... Cada um pronuncia certa palavra de uma forma.
Então, estávamos eu e o Lincoln tagarelando em português, quando percebo uma rapaz usando uma havaiana com uma bandeirinha do Brasil. Hahahaha nessa hora, eu disse para o Lincoln: - Olha amor, eu acho que esse menino é brasileiro, ele está usando uma havaiana com uma bandeira do Brasil. Na mesma hora ele olhou para nós e disse: - Eeeeeee brasileiro é que nem praga mesmo! Hahhahahaha.
Caramba, viemos para Cairns porque achamos que não teriam tantos brasileiros. Foi só a gente fazer amizade com este garoto, que meu senhor, surgiram mais uns 10 brasileiros! Nossa escola está cheio deles! Hahahahahaha.
Mas como eu disse, essa semana ainda estamos falando em português, mas a partir de segunda-feira, JUST ENGLISH.
Soubemos de uma festa que ia rolar na cidade: CARNIVAL BRAZIL. Opaaaaa, nosso carnaval! Mas é claro que vamos! A festa foi na quarta-feira, a entrada era AU$10 incluso três drinks... Super ótimo! Combinamos com nossos amigos estrangeiros que moram com a gente de irmos juntos... E depois racharmos o Taxi. Eles super toparam!
A Mary, muito querida, se ofereceu para nos levar até a festa. Nossa, melhor ainda! Iríamos economizar ainda mais por não precisar pagar o taxi para ida.
Chegando na festa, é claro, tinha MUITOOO brasileiro! Descobrimos que Cairns está tomada de brasileiros! Mas acho que legal que eles só se comunicam em inglês. Só os que estão meio perdidos ainda, eles conversam em português (eu, por exemplo, hehehe). Mas o restante do pessoal, JUST ENGLISH.
O samba começou a rolar solto, e eu me empolguei. Dalheee sambar! Foi eu começar a sambar pra uma monte de koreana e japonesa me rodear e me perguntar como fazer para sambar. Hahhahaha, tentei ensiná-las, mas sem muito sucesso... Acho que não sirvo para essas coisas... Hehhehehe. Mas foi divertido, foi muito bacana.




(Nesta foto a Japonesa e o Francês que moram conosco)

Quando começou a tocar forró, eu e o Lincoln nos empolgamos também... Dançamos um monte! Puxa que saudades do Brasil... Mas ainda bem que teve essa festinha básica... Deu para pular “um pouquinho” o Carnaval que perdemos no Brasil.
É isso pessoal, mais novidades, eu postarei aqui.
Ao pessoal que comentou, muito obrigada! Obrigada pelas vibrações positivas e pelos votos de felicidade! Estamos com saudades de todos e do Brasil! Continuem acompanhando! Essa tem sido a melhor experiência em nossas vidas! E aconselho: para quem puder, faça o mesmo! É tudo inesquecível!
Beijos Beijos, Bá e Lincoln.

quarta-feira, 9 de março de 2011

Aventuras em aeroportos até a Austrália

Olá amigos e leitores! Finalmente a viagem à Austrália aconteceu! Depois de muitos contratempos é claro... Começando com o nosso visto que não saiu na data prevista. Nossa viagem estava agendada para 27 de fevereiro e o visto saiu apenas no dia 03 de março. Entãooo, no mesmo dia, assim que o visto foi aprovado começamos a correria para a compra das passagens aéreas e embarque para Austrália.
Depois de quase 2 horas no telefone com a Americans.com conseguimos passagens para o dia seguinte, 04 de março, onde nossa aventura começou!
04 de março – 08h00min (Brasil – Curitiba/PR)
Lá estávamos eu e o Lincoln com as nossas famílias fazendo check-in para embarcar. Um certo probleminha aconteceu com a minha reserva, a Americanas acabou fazendo duas reservas para o meu nome, então, precisaram resolver antes de embarcar. Até ai, tudo bem e tranqüilo, coisinha fácil para os atendentes da TAM.
04 de março – 09h50 (Brasil – Curitiba/PR)
Bye Bye família! Nos despedidos de nossos pais e minha irmã, regado de muita choradeira e carinhos. Essa foi a pior parte, a despedida... Mas faz parte... Estamos partindo para um salto nas nossas vidas... Ainda bem que estamos indo juntos, nessa hora deu um friozinho na barriga, de tipo: PUTS, TÁ ACONTECENDO MESMO!

04 de março – 11h00 (Brasil – Aeroporto de Congonhas/SP)
Viagem tranqüila. Fizemos boa viagem... Não deu nem tempo de curtir o vôo na verdade... Tudo muito rápido, 40 min sobrevoando apenas. Chegando no aeroporto, precisamos pegar o translado da TAM para seguirmos até o Aeroporto de Guarulhos, onde pegaríamos o vôo para Joannesburgo na África do Sul. Opa, ônibus de viagem legalzinho da TAM, deu pra dar uma boa cochilada e descansar antes de enfrentar uma viagem de 8 horas sobrevoando o Atlântico.
04 de março – 14h40 (Brasil – Aeroporto de Guarulhos/SP)
Caraca! O tempo passou voando, e nosso vôo para Joannesburgo é as 17h30, resolvemos seguir para a fila do check-in da CIA Aérea South African. Feliz e contentes apresentamos nossos passaportes e esperávamos a atendente nos dizer: BOA VIAGEM!  Em vez disso, o que ela nos disse foi:  OPS... TEMOS UM PROBLEMINHA. Ficamos quase 2 horas tentando resolver o tal do probleminha... Não havia conexão de Joannesburgo para Sydney, o sistema não conseguia identificar que nosso destino final era Australia... A resolução do problema foi fazer uma nova reserva no check-in que tivesse o destino final. OK, tudo resolvido, embarcamos com destino à Africa do Sul.
05 de março – 07h30 (Joannesburgo – África do Sul)
Finalmente vôo internacional. A grande maioria das aeromoças era africana, negras e muito, mas muito simpáticas. Não conseguimos dormir no vôo, por causa do desconforto das poltronas e por causa do fuso horário. Quando estávamos quase cochilando, umas 23h00 da noite no horário do Brasil, eles acenderam as luzes do avião para tomarmos o café da manhã, porque na África já era 04h00.
Chegamos à Africa do Sul. Foram quase 9 horas sobrevoando o Atlântico, e sem conseguir dormir sequer uma horinha.
No Brasil, são 02h30, e na Africa do Sul 07h30, ou seja, cinco horas de diferença do fuso horário... Chegamos tontos e com enjôo... A sensação de mudança de fuso é essa... Enjôo e tontura. Conhecemos dois brasileiros que também estavam indo para Austrália, mas para outra cidade: Perth. Os dois nos convidaram para alugarmos um quarto num hotel para descansarmos, já que nossa passagem para Austrália estava marcada só para as 17h30, ou seja teríamos que esperar 10 horas para embarcarmos...
Ficamos meio apreensivos, já que muitaaaa gente diz para não confiarmos em brasileiros... Então, resolvemos não ir, e ficamos perambulando pelo aeroporto, que por sinal é GIGANTESCO!!!!
Os Africanos são muitooo queridos, receptivos, engraçados e amigáveis. Gostamos muito de lá, para todos que perguntávamos algo, eles faziam questão de nos explicar em detalhes como funcionava. Quando nos apresentávamos como brasileiros então, eles nos tratavam melhor ainda... Acho que eles amam o Brasil. Alguns arranhavam o português, outros só no inglês enrolado deles... Hehhehehe muito engraçado. Passamos o dia todo no aeroporto... No total foram 10 horas. Estávamos muitooo cansados, não víamos a hora de embarcar no avião para podermos dormir um pouco. Ou seja, quase 24 horas acordados!!!
As 15h00 abriu o check-in, e lá fomos nós. Quando fomos pesar as malas para despachar, a atendente nos olhos e disse em inglês: Desculpe, mas o limite é 1 mala por pessoa de até 32kg. Meu senhor! Eu estava com duas malas, cada um com 25kg!!! Perguntamos quanto sairia o excesso de peso em dólares, então ela disse: $1.500,00. Caraca, entramos em desespero... Mas calma! Todo brasileiro dá um jeitinho para tudo. No nosso inglês enrolado, explicamos que estávamos vindo do Brasil, e que lá o permitido era 2 malas por pessoa de até 32kg cada uma. Feito isso, ela foi conversar com o “manager” dela... Depois de uns 20min veio com a notícia que não tinha problema, e ufa, as malas foram despachadas.

06 de março – 07h00  (Sydney – Austrália)
Conseguimos dormir!!!! Ufaaaaa!!!! Claro com a ajudinha de um remedinho chamado Dramin... Ótimo para a sensação que estávamos (enjôo) e ótimo para dormirmos... Conseguimos descansar 8 horas seguidas. Foi o que nos ajudou a enfrentar mais uma etapa da viagem... Sidney!
Desembarcamos em Sydney as 07h00min e no horário do Brasil as 19h00min. Uma confusão de fusos... Já não conseguimos entender nada heheheh. Desembarcando em Sydney, tudo começou a dar errado. Minha mala estava quebrada! A rodinha caiu, o tecido rasgou... Hunpf, droga! Uma mala novinha... Mas tudo bem... Acontece...
Então, diante disso fomos procurar um daqueles carrinhos de aeroporto para colocar as malas, e ficamos de cara! O carrinho custa $4,00. Meu senhor! Você não pode respirar e eles estão cobrando por isso.
O aeroporto de Sydney é muito grande, então, existe um ônibus que leva para o outro lado, onde embarcaríamos para Cairns. Fomos nos informar com o motorista e a passagem não era “free”, custava $5,50. Mais uma coisa para pagar!!!!!!
Ok, seguimos para o outro lado do aeroporto para nos informar a respeito da CIA Aérea e a que horas teríamos que fazer o check-in. Então, ficamos sabendo de outra coisinha super boa: Para viajar à Cairns só é permitido uma mala por pessoa com 20kg no máximo, e cada quilo a mais custaria $15,00. Que raivaaaaaaaaaaa, tudo, tudo, tudo, tudo paga!
Estressados e indignados, procuramos por um hotel para passar a noite, ficamos no Fórmula 1, e o valor super salgadinho $150,00 o casal. Como o cansaço era tanto e a indignação também, acabamos ficando naquele hotel mesmo, pois de acordo com os taxistas era o mais barato em Sydney.
Chegando no hotel tomamos aquele banho reforçado e resolvemos abrir as malas para tirarmos alguns pesos dela e colocar na mala da mão. Cientes que teríamos que pagar excesso de peso, conseguimos tirar aproximadamente uns 5kg de cada mala... Já a mochila carregada nas costas estão muitoooooo pesadas, com mais ou menos uns 15kg hahahaha.


07 de março – 05h00 (Sydney – Austrália)
Seguimos para o aeroporto com destino à Cairns, ao fazer o check-in nos explicamos para a atendente que viemos do Brasil e que não haveria conexão direta para Cairns, a fim de evitarmos pagar o excesso de peso. E deu super certo! As malas foram despachadas e não precisamos pagar um centavo sequer sobre excesso de peso. “BELEZA”.
No avião, esperávamos servir um café da manhã, assim como todos serviram. E mais uma vez precisamos “pagar”. Neste vôo o café da manhã não é cortesia. Tivemos que pagar $8,00 por um chocolate quente e uma pringles. Um absurdo! Uiiii odiamos Sydney... Tudo, absolutamente tudo tem que pagar... Que saudades do meu Brasil Brasileiro!
07 de março – 08h30 (Cairns – Austrália)
Finalmenteeeeeeeeee Cairns! Desembarcamos felizes e contentes! Graças a Deus o destino final! E apesar de tudo, chegamos bem!
Quando descemos do avião, sentimos a temperatura da cidade nordestina da Austrália, um BAFO! Muitooo, mas muitooo quente! E o dia estava chuvoso e fechado... Imagine num dia de sol radiante.
Esperamos um pouco e logo encontramos a Mary, a dona da casa onde ficaremos hospedados por 1 mês. Muito querida e muito receptiva...
E sobre detalhes da cidade e da homestay (casa onde iremos morar um mês) eu conto no próximo post.
E aqui eu termino a nossa pequena e grande aventura na viagem de 3 dias até a Austrália... Cansativa e exaustiva. Um conselho para quem virá à Austrália, venham pelo Pacífico e não pela Africa como viemos... A viagem não é tão cansativa...
Super Beijo e até o próximo post.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Bye Bye Brasil


Simmmm, eu e meu namorado estamos de partida para Austrália, viagem agendada para a primeira semana de março.
E com poucos dias para a viagem, estamos na expectativa e na ansiedade de viajarmos logo...
O principal motivo de eu ter criado esse Blog é me comunicar com o pessoal do Brasil e relatar as experiências vividas na Austrália. Então, para quem tem curiosidade sobre a Austrália acompanhe as notícias. =)
Iremos morar na cidade de Cairns, Nordeste da Austrália, onde está localizada a maior barreira de corais do mundo!


Estamos indo com intuito de estudar e trabalhar. E é claro juntar uma boa graninha e viajar! Viajar muito! Conhecer Indonésia, Nova Zelândia, China, Índia, Japão... Enfim, muitos países. Espero que consigamos, e que de tudo certinho.
Acompanhem nossas notícias.
Beijos

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Brasileira fazendo história na Espanha!

É com muito orgulho, que anuncio que uma Brasileira, amiga minha, Anaisa Lejambre, estudante universitária na cidade de Pamplona na Espanha ganhou um prêmio de melhor curta metragem!
Quer dar uma conferida no trabalho dela? Veja o curta metragem abaixo.

Parabéns Aninha, estou muito orgulhosa de você amiga! Você merece tudo o que está conquistando! Super beijo!

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

ADRENALINA

Você já teve a oportunidade de sentir a Adrenalina?
Você sabe o que é a Adrenalina?
Uma definição rápida: A adrenalina, também conhecida como epinefria, é um hormônio secretado por uma molécula das glândulas supra-renais. Em condições normais, sua presença no sangue é muito pequena, porém, basta um momento de excitação (medo ou euforia), estresse físico e emocional ou ainda situações de fortes emoções como esportes radicais para disparar uma grande quantidade de adrenalina no sangue.
A Adrenalina irá atuar como um neurotransmissor que tem efeito sobre o sistema nervoso simpático, preparando o organismo para um grande esforço físico. Sua liberação no sangue estimula o coração, aumenta os batimentos cardíacos, dilata as pupilas, eleva a pressão arterial, libera a glicose armazenada no fígado, relaxa alguns músculos involuntários e ao mesmo tempo contrai alguns outros.
Adrenalina é simplesmente sentir a emoção!
Quer sentir o que é Adrenalina? Então assista a esse vídeo da SCREW.

Referências:

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

A FONTE DA JUVENTUDE


Há muitas histórias sobre pessoas que procuravam a fonte da juventude, muitas acreditavam que se tratava de efetivamente uma fonte, ou uma cachoeira, um lago, onde o indivíduo que se banhasse naquelas águas se tornaria eternamente Jovem!
Hoje, sabemos que esses contos não passavam apenas de estórias. Contadas e declamadas despertando interesse e desejo nos mais idosos.
Porém! No dia do meu aniversário eu ganhei um livro de um amigo, cujo nome é “A FONTE DA JUVENTUDE”. Este livro me instigou, e me instiga muito! Nele, o editor conta a história da Fonte da Juventude, onde ela está guardada dentro de nós, ali, oculta, mas existente.
Parece brincadeira o que estou dizendo, mas como eu disse, esse livro é muito intrigante. E com ele estou aprendendo muitas coisas que antes eu acreditava não ser possível.
E alcançar a Fonte da Juventude é muito simples, basta estimularmos nossos centros de energia, conhecidos também como vórtices, ou ainda chacras (pelos hindus).
Todos nós sabemos que somos feitos de campo energético, como mencionado no livro, a fotografia tirada por Kirlian, mostra o corpo cercado por um campo elétrico invisível a olho nu, ou “aura”, sugere que somos “alimentados” por alguma forma de energia que permeia o Universo.
O segredo da Fonte da Juventude é praticar cinco tipos de exercícios que estimulam esses chacras, onde os vórtices/energias começam a se sincronizar. Esses exercícios não são ginásticos, são rituais de exercícios físicos que estimulam os chacras.
A intenção é restabelecer o equilíbrio dos sete centros de energia, que são correspondentes às sete glândulas endócrinas, que produzem hormônios que regulam todas as funções corporais. Inclusive há recentes pesquisas médicas que descobriram indícios convincentes de que até mesmo o processo de envelhecimento é regulado por um hormônio.
Enfim, ficou instigado? Leia o livro:
A FONTE DA JUVENTUDE
Autor: Peter Kelder
Tradução: Evelyn Kay Massaro
Editora Best Seller
13ª Edição
Rio de Janeiro, 2009.



domingo, 16 de janeiro de 2011

DESASTRES MUNDIAIS

Caraca, atualmente só escutamos e lemos na mídia notícias sobre desgraças, mortes, enchentes, terremotos, desabamentos e tudo mais. Estou espantada com o que houve no estado do Rio de Janeiro! Mais uma enchente entre as milhares que o Brasil já sofreu...
É em Santa Catarina, Pernambuco, Alagoas, Rio de Janeiro, Paraná... Caramba, tá tudo virando por água abaixo. Não só aqui no Brasil, mas em todas as partes do mundo milhares de desastres têm matado muita gente e deixado muitos feridos...
Na Austrália, a enchente que acontece no estado de Queensland também deixou muitos mortos e feridos. Sem contar a água contaminada das chuvas que coloca em risco a maior barreira de corais do mundo! Um tesouro ambiental!
Lembrando ainda, que há um ano atrás um terremoto matou milhares de pessoas no Haiti. A onda de calor também fez mortes na Europa... Enfim... Só desastres e desgraças! E tudo isso por quê? Culpa do homem! Nós!!! Eu, você, seu pai, sua mãe, seus irmãos, parentes, amigos, conhecidos... Todos nós temos uma parcela de culpa sobre esses desastres.
Será que ainda dá tempo de “reconstruir” a Terra?
Será que temos chance de sairmos ilesos dessa onda de destruição?
 Será que a lenda sobre 2012 realmente existe?
Será que estes são os sinais do que dizem os lendários a respeito de 2012?
Será? Será? Será?????
Enfim... Resta-nos apenas viver, e esperar que o pior não aconteça. Fazer nossa parte em questão ao meio ambiente e respeitar a Natureza – que começou a responder sobre as agressões que sofreu durante tantos anos pela raça humana.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

A ESCOLHA DE UMA PROFISSÃO

Olá leitores!
Primeiro quero agradecer as visitas, os comentários e os e-mails que recebi de todos vocês.
O assunto da gagueira é interessante abordar, porque muita gente ainda sente vergonha de assumir seu problema... E espero que com o texto escrito eu possa ter ajudado alguém...

Agora vamos ao assunto que gostaria de abordar...

A ESCOLHA DE UMA PROFISSÃO

Caramba! Digo isso por mim. Como é difícil decidir o que “ser na vida”... Acredito que eu esteja me conhecendo ainda, me informando a respeito de várias áreas, tentando me encontrar.
Como citei na primeira postagem, sou formada em Administração de Empresas e trabalho na área Fiscal/Tributária de uma empresa privada. Gosto muito do que faço, mas sinto que não é exatamente essa área que gostaria de seguir. Acho que só os que trabalham com isso podem dizer o quão é estressante trabalhar com impostos e tributos. Não quero viver a vida toda preocupada e de cabelo em pé...
No momento para mim está sendo ótimo, pois sou jovem, em busca de conhecimento, aprendizado, onde essa loucura toda gera muita Adrenalina... Poréééém, até quando? RS RS
Existem vários testes com psicólogos para ajudar nesse assunto, inclusive conheço muitas pessoas que o fizeram. Mas será mesmo que um teste pode lhe informar a profissão mais adequada a seguir? Se você já fez um teste como esse, comente sobre a sua experiência, divida conosco se realmente encontrou sua profissão e se é feliz nela.
Acredito que precisamos nos deixar ouvir o coração, as nossas vontades e sonhos. Como é bonito quando alguém gosta de algo desde criança, e consegue chegar à profissão. Como por exemplo ser piloto de avião, ou ainda, aquele que sonha em ser Bombeiro, Enfermeira... Acho muito bacana isso. E esses são os melhores profissionais, aqueles que sonham durante toda a infância para se tornar um “herói”.
Pena que isso não aconteceu comigo... RS RS RS... Acho que faltou um pouco de atenção comigo mesma... Mas nunca é tarde!
Uma coisa eu sei, aos pouquinhos estou me descobrindo com o curso de Massoterapia que estou fazendo... Desde muito pequena eu gostava de “massagear” minha mãe e meu pai. Pegar nas costas, apertar, fazer soquinhos e batidinhas para aliviar a tensão, ou seja, me fazer de fisioterapeuta, que entende sobre cada musculozinho... hehehe
Quem sabe poderá ser essa minha profissão dos sonhos e do futuro?
Daqui um tempo, quando eu descobrir eu conto para vocês! Hehe

Deixem seus comentários e opiniões. Vamos dividir nossas experiências.
Um super beijo

domingo, 9 de janeiro de 2011

GAGUEIRA

O título de hoje é a Gagueira. Sim, estou tratando deste assunto porque eu já  fui Gaga.
Hoje não me considero mais gaga devido a minha evolução no quadro, o aprendizado que eu tive em “aprender a falar” e a aceitação do problema, que hoje não me incomoda mais.
Mas durante muitos anos, tive sérios problemas com a Gagueira, inclusive sofri de Bullying na Escola – um assunto que graças a Deus tem sido comentado na mídia e que os especialistas estão dando atenção ao problema.
Minha gagueira começou aos 2 ou 3 anos de idade (quem pode dizer isso melhor a respeito é minha mãe  rs rs), devido à um trauma infantil. De acordo com relatos da minha mãe, ela começou a notar na minha dificuldade de me expressar nesta idade. Lembro-me quando eu tinha uns 5 anos de idade, e morava com minha família na casa dos meus avós, onde minha avó dizia para eu “pensar e respirar” antes de falar. Isso era péssimo, não só a minha avó, mas muitas pessoas diziam isso para mim... Era horrível e frustrante. Eu não conseguia “pensar e respirar” antes de falar, até tentava, mas não adiantava de nada... E assim, o problema foi se expandido cada vez mais.
Há uns cinco anos atrás, fiz várias pesquisas a respeito sobre a gagueira, participei de comunidades na internet que dividiam o problema,  fui em palestras e, inclusive dei uma entrevista numa rádio a respeito do assunto.
Nesses estudos e conversas com psicólogos e fonoaudiólogos, descobri que quando uma criança apresenta quadro de gagueira, ela não deve ser chamada atenção sobre o caso. Ela não pode ter conhecimento de que o problema existe, como afirmações do tipo: “pare, pense e respire antes de falar”.
Enfim, portanto, aos que estão lendo esta postagem, e conhecem uma criança gaga, o mais correto é direcionar a um especialista (psicólogo e fonoaudiólogo) e não chamar atenção dela quanto ao caso. Façam de conta que o problema não existe.
Os especialistas dizem que a criança não pode tomar conhecimento sobre a gagueira, porque quanto mais ela “pensar antes de falar”, mais será agravada a fala. E assim, todas as vezes que ela for se controlar (pensar) para não gaguejar, ela não conseguirá êxito e acabará gaguejando.
O gago adolescente ou adulto tem muitas artimanhas para falar sem gaguejar, como estender a primeira sílaba de uma palavra, como por exemplo:  caaaaaabeça, baaaaanana, guaaaraná.
Outras vezes, finge esquecer determinada palavra, buscando a quem está o ouvindo que diga a palavra para ele falar na sequencia. Como por exemplo: Fulano, como é o nome mesmo da capital do Paraná? E então a pessoa com quem ele está conversando responde: Curitiba, e então ele repete a palavra e continua a conversa... Isso acontece porque quando o gago escuta determinada palavra que ele tem dificuldade de falar, para ele fica mais fácil ouvir a pronuncia para depois pronunciá-la.
Enfim, existem diversas artimanhas desse pessoal... Hehehe  inclusive eu as uso e em alguns casos. (Puts to abrindo meu segredinho... rs rs).
Quanto ao Bullying, digo que sofri na Escola porque eu não tinha “amiguinhos”... Todos eles achavam que “aquilo que eu tinha” pegava... Passava de uma pessoa para outra. Eu era excluída dos jogos em grupo na sala de aula, ninguém queria fazer trabalho de escola comigo, fazer parte do meu time de Caçador ou Volei...
Inclusive por diversas vezes fui dispensada de apresentar trabalhos orais da escola, para evitar vaias dos colegas. Como eram comuns as vaias (principalmente de meninos) quando eu ia apresentar trabalho, os professores me dispensavam deste sofrimento... Inclusive acho que não tinha paciência também... rs rs
 Enfim... Sofri bastante até a 5ª série, até conhecer minha primeira e melhor amiga: ANAISA. Que me ajudou muito e foi muito compreensiva comigo. Até hoje somos amigas, um pouco (ou muito) distantes, mas sempre amigas. Uma verdadeira amizade de carinho, respeito e compreensão. Hoje, ela mora na Espanha e sinto muita a sua falta. Portanto, um super beijo muito especial a ela. Amo você Aninha!
Como estava dizendo... Eu não consegui pronunciar uma palavra sequer inteira, sem gaguejar... Tadinha da minha mãe, que tinha a maior paciência comigo... Lembro que eu voltava da escola, cheia de novidades para contar e ficava horas contando, sempre gaguejando e ela, com muita paciência para me ouvir.
Fiz tratamento com formandos de psicologia e fonoaudiologia quando criança, que me ajudaram muito! Minha evolução foi fenomenal. Um super conselho aos pais que tem alguma criança gaga: quanto mais cedo o tratamento, mais eficaz será o tratamento e a melhora.
Eu devia ter uns 9 ou 10 anos de idade quando comecei o tratamento. Como não tínhamos plano de saúde, e a cobertura particular era muito cara, conseguimos o atendimento por uma Universidade de Curitiba, que realizavam atendimento à comunidade com os estagiários dos cursos de Psicologia e Fonoaudiologia, a consulta custava R$ 5,00.
Então, ai vai mais uma dica: para quem não tem dinheiro para bancar o tratamento, a maioria das universidades possuem um programa de atendimento à comunidade em diversas áreas. Vale a pena dar uma conferida.
A minha melhora foi muito boa, já não gaguejava tanto, conseguia me expressar, já tinha amigos com quem contar e então, só fui melhorando. Até os 18 anos, tive ainda alguns “baques” que quase me derrubaram, devido ao Bullying no trabalho. Preconceito de alguns ignorantes que não entendem, não compreendem e não têm o mínimo de sensibilidade para lidar com esse tipo de problema.
Fui agredida moralmente por duas pessoas na empresa, e isso mexeu muito comigo.
Fiz terapias, tratamento com psicólogos e até mesmo psiquiatras, os quais me ajudaram muito a me aceitar como sou. E hoje, levo a minha vida muito feliz. Ainda gaguejo um pouquinho, mas vejo isso como meu “charminho” minha “marquinha”.
E para mim, não sou mais gaga. Sou simplesmente uma pessoal normal e comum, assim como muitos outros. Inclusive já apresentei peças de teatro, palestras, TCC, bancas, enfim, converso muito bem em público. Não sou tímida, não tenho a menor intimidação de conversar com pessoas e falar em público.
O gago que se sente gago, se retrai, não gosta de falar, não fala em publico, sente medo e vergonha de se expor. E eu não me sinto desse jeito.
Se você é gago, fique tranqüilo! A gagueira não tem cura, mas tem tratamento! Procure ajuda, procure por especialistas. Mesmo sendo adulto, nunca é tarde, sempre há uma evolução. Você é normal assim como todos são. Nem tudo é perfeito, e veja pelo lado positivo, várias celebridades foram ou são gagas, e cito algumas como: Moisés (há uma citação na Biblia que diz sobre a sua dificuldade de falar), Rui Barbosa (orador), Isaac Newton, Aristóteles, Charles Darwin, Julia Roberts, Bruce Willis. Enfim, muitas celebridades também tinham ou tem o mesmo problema que o seu. Portanto, não estamos sozinhos nessa!
Existe um site muito bacana que fala sobre o assunto: ABRA GAGUEIRA – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA GAGUEIRA. http://www.abragagueira.org.br/.
 Inclusive, existe o DIAG – Dia Internacional de atenção à Gagueira – 22 de Outubro. E no ano passado a ABRA GAGUEIRA fez uma campanha super bacana: “GAGUEIRA NÃO TEM GRAÇA, TEM TRATAMENTO! Vale a pena dar uma conferida no site.
Enfim, termino aqui o assunto sobre a Gagueira, e espero de ter colaborado para o problema de alguém. Qualquer dúvida a respeito, comentário ou curiosidade, entre em contato. Ficaria muito satisfeita em ajudar.
Um forte beijo e abraço a todos.